quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Sobremesa de chocolate e Kandy coco

....inspirada no salame que habitualmente faço..... !!!

Apeteceu-me criar uma sobremesa de chocolate, algo simples mas delicioso, daquelas sobremesas que comemos um pedacinho e ficamos satisfeitos mas não enjoados.
Com a ajuda da Bimby foi mesmo um instantinho para a preparar....a pior parte foi ter que a colocar no frio e esperar que estivesse pronta para o  "ataque ".....!!!!



Ingredientes:

2 ovos
1 pacote de Kandy Coco Du Bois de la Roche
80 gr de açucar
100 gr de chocolate para culinária
60 gr de margarina
20 gr de coco
1 c. café de aroma de baunilha
2 c. chá de café solúvel




Preparação:

Coloque no copo as bolachas e triture 10 seg./vel 4. - Reserve 4 para colocar no fundo da forma;
Deite no copo o açúcar, os ovos e a margarina;
Programe 5 min. 70ºC vel 4.;
Adicione o chocolate, o aroma de baunilha, o coco e o café solúvel e misture 20 seg./ vel 5.;
Adicione as bolachas e envolva com cuidado;
*Forre com película aderente uma forma de bolo inglês;

**Disponha 4 bolachas no fundo e deite o preparado sobre as mesmas;
Leve ao frigorífico até solidificar

**Desenforme e decore a gosto


Um interior tão guloso.....



Sirvam-se de uma fatia bem fresca e acompanhem com natas batidas ou uma bola de gelado...



Nesta receita usei:



Agradeço à Du Bois de la Roche os excelentes produtos enviados.




Não esqueçam....saboreiem as maravilhas que a vida nos dá.....





Fonte: Auto-criação




  


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Frango com maçã, cogumelos e sumo de laranja

Uma delícia....

Trago uma sugestão que é realmente uma maravilha!!!!
Este é um daqueles pratos que para além de simples é também bastante saudável e saboroso, reunindo carne branca, legumes e fruta....!
Fiz esta receita na Bimby, o que permite obter um molho homogéneo e cremoso, contudo feito no tacho fica igualmente bom.



Ingredientes:

600 gr de peitos de frango em cubos
40 gr de azeite
1 cebola média
Farinha q.b.
1 lata pequena de cogumelos laminados
Sumo de 1 laranja grande
200 ml de leite evaporado
2 maçãs grandes descaroçadas
Q.b. de alho granulado Suldouro
Q.b. de cravinho moído Suldouro
1 folha de louro Suldouro
Q.b. de moinho pimenta branca Suldouro
Q.b. de oregãos folhas Suldouro
Q.b. de flor de sal Rui Simeão Tavira Sal




Preparação:


Tempere a carne com a flor de sal, a pimenta, o cravinho e o alho;
No copo da Bimby deite a cebola e pique 5 seg./vel.5;
Adicione o azeite e refogue 5 min./vel 1/100ºC;
Coloque a borboleta para a carne não desfazer e adicione a mesma já passada por farinha;
Junte os cogumelos e programe 5 min./100ºC colher inversa;
Terminado o tempo adicione o sumo de laranja, o leite evaporado, as maçãs e a folha de louro e marque mais 15 min./100ºC colher inversa;
No fim rectifique os temperos;

* Coloque numa travessa de servir e polvilhe com oregãos folhas

**Sirva com arroz branco


Nesta receita usei:




                   

                                     






















Agradeço os excelentes produtos enviados para confecção desta receita.




Sugiro que acompanhe este prato com:

 Amnésia Tinto 2009 servido à temperatura de 16 a 18ºC.

É um vinho Regional Alentejano produzido a partir das castas Aragonêz, Syrah e Touriga Nacional de uvas provenientes da Herdade da Figueirinha. Apresenta cor rubi intenso, aroma a frutos vermelhos, chá preto, taninos suaves e acidez equilibrada. 




Delicie-se.....



Não esqueçam.....saboreiem as maravilhas que a vida nos dá......





Fonte: Auto-criação









Parceria Fruut

FRUUT
Prémio Nutrition Awards 2013





Os Snacks Fruut conquistaram o Nutrition Awards 2013.

Feitos com fruta Portuguesa, estes snacks são 100% naturais, sem qualquer adição e sem glúten.
O processo de produção foi desenvolvido por uma Universidade Portuguesa e este projeto emprega já cerca de 40 pessoas, estimulando a economia nacional.



Este blog foi mais uma vez presenteado com os snacks saudáveis da Fruut.



Brevemente teremos receitas com estes magníficos snacks.
O meu agradecimento à Fruut.



Parceria com Sociedade Agrícola do Monte Novo e Figueirinha

Sociedade Agrícola do Monte Novo e Figueirinha


É com muita satisfação que vos comunico a parceria entre este blog e a Sociedade Agrícola do Monte Novo e Figueirinha.


 



A empresa Sociedade Agrícola do Monte Novo e Figueirinha, Lda está estabelecida desde 1998. O fundador é o Comendador Leonel Cameirinha . E a gestão da empresa está a cargo do fundador e do seu neto Filipe Cameirinha Ramos. A Herdade do Monte Novo e Figueirinha é uma área de 300 hectares de terra plana e boa qualidade, perto de S. Brissos, cerca de 5 km de Beja, no Alentejo, a região sul de Portugal. As principais produções do estado são a vinha e o olival. As variedades de uvas e azeitonas são cuidadosamente selecionadas para dar corpo ao vinho de alta qualidade e ao azeite , com todas as características distintivas da região do Alentejo. A Adega da Figueirinha foi construída em 2003, e é uma moderna adega equipada com a mais recente tecnologia, para atender a uma capacidade de produção anual de 800 mil litros de vinho. O enólogo é o Eng. Filipe Sevinate Pinto. Com uma área de 170 hectares de olival, em 2006, a empresa decidiu construir o Lagar da Figueirinha, com uma capacidade de produção de 8 milhões de toneladas de azeitonas, que produz um azeite de alta qualidade. O consultor técnico para a produção de azeite é o Eng.º João Gomes.





Os Vinhos

O sucesso na produção de vinhos de qualidade depende de numerosos factores, todos com uma importante contribuição para o resultado final. Na Adega da Figueirinha todas as fases são atentamente controladas e monitorizadas, desde a produção da uva, aos processos de vinificação, engarrafamento e armazenagem.

A Adega da Figueirinha foi concebida para uma produção anual de 800 mil litros de vinho. Actualmente tem uma capacidade de armazenagem de 1,3 milhões de litros de vinho.

É uma adega equipada com a mais moderna tecnologia, com a particularidade de efectuar a vinificação em lagares mecanizados, onde o processo de remontagem do mosto recorre a pás de imersão pneumáticas, que permitem uma melhor homogeneização da manta sem esmagar as peliculas e as grainhas. Por outras palavras, apenas retiram da uva o que estas têm de melhor.

O estágio dos vinhos é feito em cave, em barricas novas de carvalho francês e americano, mantidos a temperatura e humidade controlados. Posteriormente, é engarrafado e mantido em estágio em tulhas, para melhor repousar.

Todo o processo produtivo é encarado como uma missão para atingir um objectivo: produzir vinhos de qualidade, surpreendentemente elegantes e ricos de sabor.






Azeites


O azeite "Herdade da Figueirinha" é o resultado de várias variedades de azeitona e da combinação de vários estados de maturação. Esse resultado corresponde a azeite de azeitonas verdes, para sentir no início um aroma fresco a frutos verdes e um sabor fino e algo picante, adicionado a azeite de frutos maduros, para sentir no final um aroma delicado e textura aveludada. 

Foram escolhidos os frutos das cultivares Galega Vulgar, Cordovil de Serpa e Cobrançosa, todas portuguesas, e provenientes do nosso olival na Herdade da Figueirinha, em S. Brissos, perto de Beja.
O azeite é extraído sob uma centrifugação suave, para não arrastar compostos desagradáveis ao paladar, presentes na polpa, na pele e no caroço do fruto. O azeite é extraído a frio, com temperaturas inferiores a 25º, para preservar os compostos voláteis presentes na polpa da azeitona e que são responsáveis pelo aroma e sabor do azeite. 

A acidez de todo o azeite produzido na Herdade da Figueirinha é bastante baixa, variando entre os 0.2% e os 0.4%, o que proporciona uma fácil digestibilidade. A sua cor é verde - amarelada, resultado da combinação dos frutos em vários estados de maturação. 

O azeite não filtrado tem um sabor mais exuberante, uma vez que o processo de filtragem retira a polpa de azeitona em suspensão, tornando o azeite mais límpido mas retirando-lhe algum sabor. 
O azeite "Herdade da Figueirinha" é comercializado apenas com a qualidade de azeite extra virgem em garrafas de 0.25, 0.50, 0.75 litros, e também em garrafões de 3 e 5 litros. 
Para uma boa conservação do produto deve ser armazenado, sempre tapado, num local muito fresco e sem a incidência da luz.



     Contactos:

Herdade
Morada: Herdade do Monte Novo e Figueirinha
Localidade: 7800-740 São Brissos - Beja - PORTUGAL
Telef.: 351 284 311 260
Comercial: 351 966 902 828
Fax: 351 284 311 269
Email: adega@montenovoefigueirinha.pt
Coordenadas GPS: N38º03.032' W7º55.615'







Empresa: Sociedade Agrícola do Monte 
Novo e Figueirinha, Lda
Morada: Apartado 68
7801 - 952 Beja - PORTUGAL
Telefone: 351 284 313 390
Fax: 351 284 329 874


Loja
Estabelecimento: Sabores da Figueirinha
Morada: Galeria dos Valentes, Loja 8
Terreiro dos Valentes, 5
Localidade: 7800 - 523 Beja - PORTUGAL
Telefone: 351 966 902 823


Agradeço à Monte Novo e Figueirinha os excelentes produtos enviados.






Saiba mais em: https://www.facebook.com/MonteNovodaFigueirinha





segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Sopas de cação



... uma refeição em si mesma.......

  Trago mais uma maravilha alentejana. Uma refeição substancial, muito reconfortante e cheia de sabor.
Esta delícia vem da sabedoria de gerações, pessoas que com pouco faziam muito, pelo que representa as características da gastronomia alentejana, onde as ervas aromáticas, o azeite, o alho e o pão servem de base a pratos diversos e de sabor inigualável. 
  A minha versão segue a receita da minha mãe que fazia esta comidinha como ninguém, mas desde que tenho a Bimby tento adaptar os pratos tradicionais a este robot que me facilita tanto a vida.

Tenho a dizer, que em nada ficam a dever aquelas sopas que eu fazia na panela, antes pelo contrário ficam muito mais cremosas e a filhota prefere.






Ingredientes:

1 cebola média
2 dentes de alho
20 gr coentros para o caldo + 20 gr para o peixe
70 g azeite
1000 gr de água
Q.b. de flor de sal Flor das Hortas - Pimensor
6 postas de cação
60 gr de farinha tipo 65
*Fatias de pão alentejano preferencialmente duro

**Vinagre opcional 




Preparação:

Coloque no copo da Bimby a cebola, os alhos, os coentros, o azeite e pique 5 seg. vel 5;
Refogue 5 min. varoma vel 1;
Acrescente a água, a flor de sal e a varoma com o cação polvilhado com flor de sal e com raminhos de coentros - programe 25 min. varoma vel 1; 
Retire a varoma e reserve;
Coloque a farinha, o copo de medida e programe 1 min. progressivamente vel 3, 5, até à vel. 7;
De seguida programe 5 min. 100ºC vel 3;
Junte o cação ao caldo;
Sirva num prato fundo com fatias finas de pão alentejano e salpique com vinagre.


Nesta receita usei:


Agradeço à Flor das Hortas este excelente produto.





Uma sugestão quente, saudável e muito saborosa para um dia de Outono!!!!




Não esqueçam.....saboreiem as maravilhas que a vida nos dá.....





Fonte: Adaptado para a Bimby do blog Receitas para a Felicidade





sábado, 26 de outubro de 2013

Delícia de dióspiro

Outono doce e alaranjado....

  Adoro todos os frutos de outono, são lindos e versáteis!!!! gosto dos dióspiros muito madurinhos para comer à colher.
Recebi um miminho de outono, por certo biológico, dióspiros lindos....tive vontade de os transformar em algo doce.....como não sabia bem como fazê-lo fiz uma breve pesquisa e encontrei uma receita de bolo que me chamou a atenção!!!
Fiquei docemente surpreendida com o resultado, o aroma, sabor e textura são maravilhosos...a casa ficou inundada de um cheirinho maravilhoso!!!!


"Um dióspiro é perfeito. Uma polpa líquida, suave, sem grainhas nem outras armadilhas, derramada mal lhe perfuramos a pele, de um encarnado alaranjado e translúcido, para comer à colher, de comer à colher." 




Ingredientes:

400 gr de polpa de dióspiro
25 gr de margarina
50 gr de açucar

3 ovos
150 gr de açucar
150 gr de farinha 
150 gr de margarina
1 c. sobremesa de fermento em pó
20 gr sumo de limão
Raspa de 1/2 limão
1 pitada de flor de sal Rui Simeão Tavira Sal
1 c. café de canela em pó Suldouro
1 c. café de gengibre em pó Suldouro
1 c. café de erva doce Suldouro




Preparação:

Deitar no copo da Bimby as 25 gr de margarina com as 50 gr de açucar e programar 10 seg. vel 9;
Distribuir o preparado numa forma anti-aderente desfazendo com as mãos;

Colocar no copo a polpa de dióspiro e misturar 10 seg. vel 4;
Despejar a polpa por cima da mistura de margarina e açucar;

Sem lavar o copo, deite no copo todos os ingredientes à excepção da farinha e do fermento e programe 6 min. vel 4;

Acrescente a farinha e o fermento e programe 10 seg. vel 4;

Retire o copo e vá deitando colheradas de massa sobre a polpa espalhando com uma espátula;

Levar ao forno pré-aquecido até estar cozido - fazer o teste do palito

*Decorar com polpa de dióspiro




Este é um bolo invertido, contudo eu gostei mais do aspeto dourado da parte superior e optei por colocá-lo da forma que mostram as fotos....a camada de polpa neste caso não é visível mas está lá garanto-vos e deixou este bolo bem delicioso, húmido e saboroso!!!! 


Nesta receita usei:

 




Agradeço à Suldouro e à Rui Simeão Tavira Sal os excelentes produtos.





Recomendo esta delícia de Outono mesmo para quem não é apreciador deste fruto!!!





Não esqueçam...saboreiem as maravilhas que a vida nos dá....





Fonte: Adaptado de Sótão da Verdinha


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Esparguete com molho de beterraba, tomate e cenoura

Dia Mundial da Massa!!!

  Hoje, dia 25 de Outubro comemora-se o Dia Mundial da Massa ou Dia Mundial da Pasta, como queiramos dizer, desta forma eu não poderia deixar de vos trazer uma refeição de massa bem deliciosa!!!
Cá por casa a massa é sempre bem vinda seja ela confeccionada de que forma for, não nos cansamos mesmo, principalmente a filhota que é louca por massa e fica sempre indecisa entre qual escolher.
  Fiz este prato bem simples mas muito saboroso...é uma daquelas refeições de massa que nos reconforta nos dias frios e cinzentos...!!!!



Amassa a massa o padeiro,
vende massa o merceeiro,
usa massa o vidraceiro
e também o cozinheiro.


Na Avenida e no Rossio
passam massas populares, 
as canções que as massas cantam 
vão voando pelos ares. 


Ó ladrão, senhor ladrão,
responda, mas não se zangue, 
a mania de roubar 
está-lhe na massa do sangue? 


Perdi todo o meu dinheiro,
fui pedir massa emprestada, 
mas a massa que me deram, 
vejam - foi a massa folhada! 


Uma massa, outra massa...
Com tanta massa amassada, 
digam lá se este poema 
não é mesmo uma maçada! 


Luísa Ducla Soares
Poemas da Mentira...e da Verdade




Ingredientes:

Q.b. de esparguete
Q.b. de azeite
Q.b. de beterraba ralada de conserva
Q.b. de cenoura ralada
Q.b. de tomate fresco
Q.b. de cebola
Q.b. de alho granulado Suldouro
Q.b. de pimenta branca Suldouro
Q.b. de manjericão Suldouro
Q.b. de salsa folhas Suldouro
Q.b. de noz moscada Suldouro
Q.b. de Flor de Sal Rui Simeão Tavira Sal 

*Queijo Parmesão ralado
*Nozes grosseiramente picadas




Preparação:

*Coza o esparguete em água fervente com um fio de azeite e Flor de Sal 

Entretanto:  

Deite um fio de azeite numa frigideira e aqueça;
Adicione a cebola, o alho, a beterraba, a cenoura e o tomate e refogue ligeiramente;
Triture com uma varinha mágica;
Tempere com a salsa folhas, o manjericão, a noz moscada, a pimenta branca e a flor de sal,

*Escorra a massa e sirva com o molho;
*Finalize com o queijo e as nozes;



Nesta receita usei:







 Agradeço à Suldouro e à Rui Simeão Tavira Sal os excelentes produtos.




Uma refeição deliciosa!!!




Não esqueçam.....saboreiem as maravilhas que a vida nos dá....






Fonte: Auto-criação

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Açorda de alho e coentros


Hoje é dia de açorda....este tempo chuvoso pede....!!!!!


 É um prato tão reconfortante e saboroso que gosto de o preparar de diversas formas. Desta vez foi mesmo uma açorda simples para acompanhar um peixinho frito.
A açorda é a escolha ideal para aproveitar restos de pão duro...quando me sobra pão e tenho pão ralado suficiente costumo congelar todos os pedacinhos dentro de saquinhos de congelação e coloco na porta do frigorifico!!!
 Este é um prato muito apreciado no meu alentejo e ainda que esta não seja uma açorda tradicional é igualmente saborosa...deve é ser sempre feita com coentros frescos ou poejos...!!! tanto pode ser um acompanhamento como um prato principal. 

A versão que vos trago é feita na Bimby pois fica excelente e evita ainda mais cheiros na cozinha, já para não falar da rapidez e da pouca loiça que se suja!!!




Ingredientes:

500 gr de pão duro cortado em fatias
4 dentes de alho

20 gr de coentros 
50 gr de azeite 
1200 gr de água 
2 gemas de ovo
Q.b. de sal integral Rui Simeão Tavira Sal
Q.b. de chutney de tomate seco da Compotas & Chutneys





Preparação:

Coloque os dentes de alho, os coentros e o azeite na Bimby e pique 5 seg. na vel 5;
Refogue durante 5 min. na vel. 1;
Adicione a água e o sal e programe 20 min. 100ºC na vel.1;
Coloque o pão no copo e deixe embeber no caldo cerca de 5 min;
Envolva com a ajuda da espátula e misture 15 seg. vel 4;
Retire e adicione as gemas com a ajuda de um garfo;
* Pode também acrescentar um pouco de água se preferir a açorda mais líquida, pelo que deverá ir verificando a consistência da mesma.





Decore com coentros picados grosseiramente....





....atreva-se ainda a dar um toque diferente à sua açorda com Chutney de Tomate Seco da Compotas & Chutneys..... 


Um prato simples e tradicional, confecionado com um robot de cozinha de alta tecnologia e com o toque de um produto artesanal de sabor inconfundível!!!



Nesta receita usei:





Produtos de excelente qualidade.





Não esqueçam.....saboreiem as maravilhas que a vida nos dá....




Fonte: MP Bimby Outubro 2013








terça-feira, 22 de outubro de 2013

Parceria Quinta da Lixa

PARCERIA QUINTA DA LIXA - Sociedade Agrícola Ldª



O blog tem um novo parceiro.
 É com imensa satisfação que vos dou a conhecer Quinta da Lixa - Sociedade Agrícola Ldª.

Grata pela confiança!




Historial

A Quinta da Lixa - Soc. Agrícola, Lda. é o testemunho vivo da paixão que a Família Meireles sempre teve pelos Vinhos Verdes. Presente em diversas áreas do mundo empresarial, esta família que já era proprietária de vinhedos localizados em redor da pequena Vila da Lixa, decide em 1986 criar uma pequena empresa com a designação de Soporvin - Sociedade Portuguesa de Vinhos. 

O vinho produzido era inicialmente vendido a granel mas rapidamente se percebeu que a sua qualidade e aceitação eram tais que o engarrafamento na propriedade era imperativo. 

É então que surge a oportunidade de adquirir a Quinta que hoje dá o nome à empresa, com uma área total de 10 hectares.
No decorrer do ano de 1998 dá-se a mudança da designação social da empresa, esta passa então a chamar-se Quinta da Lixa - Sociedade Agrícola. 



Missão

Satisfazer as NECESSIDADES dos nossos Clientes habituais e potenciais, através da comercialização dos vinhos, de uma forma COMPETITIVA. 



Valores

•Orientação para o Cliente
•Motivação dos Colaboradores
•Ética nos Negócios
•Relação construtiva com os Parceiros
•Responsabilidade perante a Sociedade
•Cumprimento das regras de Higiene e Segurança
•Respeito pelo Ambiente 




Qualidade

O desenvolvimento contínuo da empresa só é possível graças à satisfação dos Clientes em todos os serviços prestados.

Faz parte da política de qualidade da Quinta da Lixa promover a satisfação de todas as partes interessadas, tais como Clientes, Fornecedores, Colaboradores e Sociedade em geral; cumprir os requisitos dos Clientes, bem como Normativos e Legais aplicáveis;

Estabelecer permanentemente práticas de melhoria continua, atingindo níveis de rentabilidade que garantam o crescimento sustentado da empresa e a eficácia do SGQ.