segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Farófias no micro-ondas com creme de laranja


Quando a Rafaela nasceu não a pude amamentar....infelizmente,....por este motivo, comprei imensas embalagens de Medela pump & save, onde "guardava o tesouro materno " para a minha pequenina. Estes sacos para leite materno são pré-esterilizados e extrememente caros por serem importados....reúnem as condições ideais para o armazenamento e congelação do leite materno. E perguntarão as/os leitoras/es o que tem isto a ver com a receita de hoje!!???....pois, tem mesmo muito a ver....é nestes sacos pré-esterilizados com etiqueta para nome e data, onde guardo as claras de ovos que me sobram de várias receitas, as quais congelo e tenho sempre prontas a utilizar.
As que utilizei nesta receita estavam congeladas desde fim de Junho e decidi dar-lhes uso....indecisa entre uma omelete branca, uma Pavlova e umas farófias, foram estas últimas que venceram. 
Pretendia uma sobremesa rápida e como tal pesquisei  farófias de micro-ondas, que abundam neste mundo da blogosfera e são tão simples de fazer...resumindo coloquei de lado a tradicional cozedura  das claras e fiquei mesmo rendida "a esta nova técnica",.....adorei a textura e cor destas nuvens doces.
E desta feita ficaram mais claras  que tiveram destino idêntico ao que vos contei agora aqui!!!!.



Thermomix - Bimby
Ingredientes:
4 claras
1 pitada de flor de sal Rui Simeão Tavira Sal
4 c. (rasas) de sopa de açucar
Sumo de 1/2 laranja

Creme:
500 gr de leite magro
4 gemas
1 c. de sopa de farinha Custard
4 c. de sopa de açucar
Raspa de uma laranja
Sumo de 1/2 laranja
30 gr de margarina liquida

Preparação:
As claras devem estar à temperatura ambiente;
Colocar a borboleta no copo, deitar as claras e uma pitada de flor de sal;
Programar a máquina 4min./vel.3 sem o copinho medida;
Juntar o açúcar e programar mais 4min./vel.3;
No último minuto adicione o sumo de laranja;
Uma vez prontas, colocar colheradas de claras numa travessa, prato de loiça ou pyrex deixando espaço entre elas para que possam crescer;
Programar o micro-ondas de acordo com a potência deste - eu coloquei seis colheradas de cada vez durante 1 minuto na potência máxima ou seja 1000 W;
Retirar as claras cozidas para outro recipiente e repetir o processo;

Creme:
No copo da bimby colocar metade do leite e a farinha Custard e programar 20seg./vel.6;
Colocar a borboleta e adicionar o restante leite, o açúcar, a margarina, e as gemas e programar 4min./temp.90/vel. 2;
Por fim adicionar o sumo e a raspa de laranja e envolver alguns segundos;
Distribuir por cima das farófias;



Polvilhar com canela em pó Suldouro ou servir só com o creme.


...se há "algo" ao que eu não resisto, é ao aroma e sabor da canela....sou simplesmente viciada....




Nesta receita usei:





















O meu agradecimento às empresas referidas pelos excelentes produtos enviados.





Não esqueçam......saboreiem as maravilhas que a vida nos dá.....







Fonte para a receita do creme: Cat Caffe


quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Medalhões de pescada com leite de coco, especiarias e tâmaras


Uma forma diferente de comer pescada é o que vos trago hoje. 
Adoro leite de coco e tâmaras, o que me pareceu uma excelente ideia para preparar uma refeição mais ligeira. 
O cheirinho que invade a cozinha transporta-nos para lugares exóticos....., o molho é aveludado, suave......e embora contenha bastantes ingredientes, as quantidades utilizadas são mínimas.
Experimentem esta maravilha...!!!!.


Ingredientes:
4 medalhões de pescada
1/2 lata de leite de coco

1/2 pacote de natas magras
1 c. de sobremesa (rasa) de sopa de cebola
1 c. café (rasa) de alho granulado Chaparral - Pimensor
1/2 c. café de pimentão doce Chaparral - Pimensor
1 c. de sobremesa de molho de soja Flor das Hortas - Pimensor
1 pastilha de caldo vegetal Santiveri da Sovex
1 c. de sopa de sumo de limão - opcional
1 c. de sopa de mel - opcional
1 c. de chá (rasa) de gengibre em pó Suldouro
1/2 c. de chá de caril em pó Suldouro
Q.b. de tâmaras



Preparação:
Leve ao lume um tacho com o leite de coco e as natas;
Adicione a sopa de cebola, o alho, a gengibre, o caril, o pimentão doce e o molho de soja;
Envolva bem e deixe fervilhar;
Baixe a temperatura e tempere com a pastilha de caldo vegetal, o sumo de limão e o mel;
Junte os medalhões de pescada e deixe cozinhar em lume brando cerca de 7/8 minutos de cada lado, de forma a tomarem mais sabor - retire e reserve os medalhões num prato de servir;

Se o molho ficar muito liquido, dissolva 1 colher de sobremesa (rasa) de amido de milho num pouco de água e adicione. Em lume brando deixe o molho engrossar;
Distribua o molho sobre o peixe;  
Polvilhe com ervas aromáticas a gosto;

*Para uma refeição mais ligeira sirva com tâmaras
**Para uma refeição reforçada sirva com arroz selvagem ou puré de batata

O último toque é dado com o Piri-Piri de Limão Flor das Hortas.


Parece uma delícia e é uma delícia!!!!!



Nesta receita usei:
























Agradeço às empresas referidas os excelentes produtos.






Não esqueçam......saboreiem as maravilhas que a vida nos dá......






Fonte: Auto-criação



terça-feira, 23 de setembro de 2014

Tarte cremosa de iogurte natural e especiarias


É com esta maravilhosa tarte que me despeço do VERÃO.....e dou as boas vindas ao OUTONO...!!!!.
Hoje começou oficialmente a nova estação do ano, aquela que tantos gostam mas que também tantos odeiam. Pessoalmente, vejo-a como um misto de sensações....adoro os tons de que se vestem as árvores e as estradas, o canto da chuva e do vento.....o maior número de horas passadas em casa, que permitem ajeitar "coisas".....colocar "trabalhos" em dia....as gargalhadas quando as crianças vestem as calças que usaram no outono passado e ficam "à meia canela....",.....!. 
Pois é, apetece cada vez mais preparar comidinhas de forno.....como esta tarte, que tem tanto de simples como de deliciosa e delicada.....!!!!. Sendo a base desta receita o iogurte natural simples, torna-se uma sobremesa bastante húmida e pouco doce mas também extremamente gulosa.
O iogurte que utilizei é de excelente qualidade, muito cremoso e saboroso, elaborado na Herdade onde é feita a ordenha e o leite é recolhido a diário.


Ingredientes:
200 gr de açucar amarelo
100 gr de farinha sem fermento
50 gr de margarina liquida
600 gr de iogurte natural DaVaca - Laticínios do monte
2 ovos M
1 pitada de flor de sal Rui Simeão Tavira Sal
1 c. café de fermento em pó para bolos
2 c. sopa de coco seco ralado
2 c. chá de açúcar baunilhado Suldouro
1 c. café de canela em pó Suldouro
1 c. café de gengibre em pó Suldouro
1/2 c. café de cravinho moído Suldouro 
Q.b. de Spray desmoldante Gb Panol - Sodifer

Preparação:
Juntar todos os ingredientes secos numa tigela, envolver e reservar;
Bater os ovos com o açucar até obter um creme;
Adicionar a margarina liquida e bater mais alguns minutos;
Adicionar os ingredientes secos e envolver até obter uma massa homogénea;
Finalizar com o iogurte envolvendo bem;

Pulverizar uma tarteira com spray desmoldante Gb Panol e deitar nela o preparado;
Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC até a tarte estar dourada;
*Decorar a gosto


Sirva ainda morna ou à temperatura ambiente....


Irresistível......



Nesta receita usei:


Agradeço esta deliciosa oferta à Laticínios do monte


 

 



Agradeço às empresas referidas os excelentes produtos enviados.







Não esqueçam.....saboreiem as maravilhas que a vida nos dá.....







Fonte: Adaptado do Blog O Cantinho da Nanda

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Guinness Cake com cobertura de queijo creme e licor ginja chocolate


Os bolinhos são sempre bem vindos nesta casa e se for um Guinness Cake o marido agradece..!!!.
Apesar de ser um bolo muito calórico, tento sempre inverter um pouco a situação, utilizo produtos magros e diminuo a quantidade de açucar, o que não lhe altera o sabor e consistência. 
Desta vez optei por uma cobertura diferente da que utilizei em dois dos Guinness que tenho aqui no blog, confesso que gostámos imenso do sabor.
Tal como as receitas que podem ver aqui e aqui, também esta é uma receita do Blog Clube do bolinho, da querida Cris Hanna.....claro está que fiz as minhas adaptações e desta vez optei por alterar o formato deste bolo que normalmente é feito em forma redonda de fundo amovível. 
É uma delícia que sabe bem em qualquer estação do ano.....e gostamos de o comer fresco!.


Thermomix-Bimby

Ingredientes para o bolo:
310 gr de Cerveja Guinness (pode ser substituída pela Super Bock preta )
100 gr de manteiga ou margarina magra
100 gr de pastilhas de chocolate Ariba negro a 54% - Sodifer
300 gr de açúcar
300 gr de natas magras
2 ovos M
2 c. de chá de açúcar baunilhado Suldouro
250 gr de farinha para bolos
2 c. de chá de fermento em pó
**1 c. de chá cheia de bicarbonato de sódio
Q.b. de Spray Desmoldante Gb Panol - Sodifer

Para a cobertura:
 
100 gr de manteiga magra à temperatura ambiente
3/4 c. de sopa de licor Ginja Chocolate Caldas de Óbidos - Chocolicor
200 gr de queijo creme magro à temperatura ambiente
150 gr de açúcar em pó (pulverize na bimby )

*Pré-aqueça o forno a 180 graus.


Preparação do bolo:
*Pulverize o açúcar destinado à cobertura 15 seg. vel. máxima ( reserve );
Pulverize as pastilhas de chocolate até obter pó;
Ao chocolate pulverizado adicione a farinha, o fermento,o açúcar e o bicabornato de sódio 15 seg. vel. 6 ( reserve );
Coloque a cerveja no copo e programe 5 min. temp.70ºC vel 1;
Adicione a margarina e programe 2 min. na mesma vel. ( reserve );
Coloque a borboleta e adicione as natas, os ovos e o açúcar baunilhado e programe 3 min. na vel. 3 1/2;
Acrescente no final a mistura reservada da cerveja e margarina;
Adicione a farinha e misture tudo, sem retirar a borboleta 5 seg. vel 2;

**Deite o preparado numa forma previamente pulverizada com desmoldante;
Coloque no forno durante 30 a 45 minutos (teste do palito);
Desenforme somente quando o bolo estiver frio;
Preparação da cobertura:
Numa batedeira junte o açúcar em pó e a manteiga até obter um creme;
Acrescente o queijo creme aos poucos até que este se incorpore no preparado anterior;
Acrescente o licor e continue a bater durante alguns minutos, até que o creme fique fofo;
 
*Retire o bolo já frio da forma e coloque o creme por cima numa camada generosa;
**Também pode optar por rechear o bolo.


Sirva simples ou decore a gosto!!!


Delicious......


Nesta receita usei:

 


 

Agradeço às empresas referidas os excelentes produtos enviados.






Não esqueçam.....saboreiem as maravilhas que a vida nos dá......

domingo, 14 de setembro de 2014

Paelha mista do mar




A paelha é um prato à base de arroz, típico da gastronomia espanhola e que tem as suas raízes em Valência, por este motivo, em Portugal é conhecido como arroz à valenciana.
A região de Valência mais concretamente Albufera, era uma região de grandes arrozais e de grande produção de verduras frescas. 
Ao difundir-se pela costa, a paelha vai sofrendo alterações, ou seja foram acrescentados frutos do mar, tornando-o um prato misto - terra e mar. Adaptado de Wikipédia 

A receita que vos trago vem na página 16 da Teleculinária Especial Robot de Cozinha, contudo adaptei-a aos gostos e costumes cá de casa. As crianças não comem camarão nem ameijoas, por isso optei por preparar estes dois ingredientes ao natural num recipiente à parte (apenas descongelei). Quanto à adição de salsichas decidi não o fazer, guardei assim esta "iguaria", que as minhas crianças tanto gostam para uma outra refeição....e assim comeram as lulas...!!!!.
O arroz escolhido para confeccionar esta maravilha, foi o Carolino das Lezírias Ribatejanas, um arroz de bago generoso e tenro, com uma textura aveludada e macia, um arroz Carolino do qual fiquei fã pois permite absorver os sabores e aromas dos ingredientes, tornando esta receita uma verdadeira delícia.


Thermomix - Bimby

Ingredientes:
700 gr de lulas - usei 500 gr arranjadas e congeladas
150 gr de miolo de camarão - usei congelado
100 gr de ameijoas - usei congeladas
1 kg de água
300 gr de arroz Carolino das Lezírias Ribatejanas - Orivárzea
200 gr de ervilhas - usei congeladas
3 c. sopa de cebola picada Flor das Hortas-Pimensor
2 c. chá de alho granulado Chaparral-Pimensor
40 gr de azeite
1 c. sopa de açafrão das Índias Suldouro
1 folha de louro
Q.b. de pimenta branca Suldouro
Q.b. de sal Rui Simeão Tavira Sal
1 pastilha de Caldo Vegetal Santiveri-SOVEX
Q.b. de tomilho fresco Aromáticas Vivas
Q.b. de cebolinho fresco Aromáticas Vivas
Q.b. de pimentos morrones - facultativo


Preparação:
Descongele as lulas e o miolo de camarão e tempere-os com sal e pimenta;
Coloque a cebola e o alho no copo do robot e ligue 2 seg./vel.5;
Junte o azeite e programe 4min./vel.1/100ºC;
Adicione as lulas, a água, o louro, o tomilho e o açafrão;
Adicione a pastilha de caldo vegetal, rectifique os temperos e programe 10 min./Colher inversa/100ºC;
Encaixe o acessório misturador no copo, junte o arroz, as ervilhas e programe 13min./Colher inversa/;
Confirme o ponto de cozedura do arroz e ervilhas;
Sirva de imediato com as ameijoas e miolo de camarão que preparou à parte;
Decore com cebolinho fresco.


Maravilhoso.....



Nesta receita usei:

 


 

 




Agradeço às empresas referidas os excelentes produtos enviados.






Não esqueçam......saboreiem as maravilhas que a vida nos dá......

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Parceria Orivárzea

É com muita satisfação que comunico a parceria entre este blog e a Orivárzea.




A história da Orivárzea começa em 1997, quando um grupo de 10 dos mais importantes orizicultores da Lezíria Ribatejana decide dar as mãos e juntar as forças para produzir e comercializar um arroz de excelência com qualidades únicas, e fazê-lo chegar ao consumidor final a preço justo.

A rentabilização dos meios de produção, e o acerto de um projecto fundado no espírito de solidariedade e entreajuda, rapidamente atraíram novos agricultores que foram crescendo através dos anos até chegarem aos actuais 37 associados com 5000 hectares semeados. Todos Ribatejanos, todos produtores de arroz, todos fiéis aos princípios de certificação que garantem um arroz muito acima dos padrões oficiais de qualidade e com um controle absoluto do processo produtivo, desde a semente, produzida pela Orivárzea, até à embalagem na prateleira do supermercado.

Mas a tradição da Orivárzea nasceu muito antes de 1997. Berço privilegiado do cultivo de arroz em Portugal desde finais do século XIX, a Lezíria Ribatejana viu passar pelas suas largas planícies gerações de agricultores a quem o tempo e a prática ensinaram os segredos da orizicultura de excelência no estuário do Tejo.

Descendentes destes pioneiros, e com uma herança já secular na produção e comercialização de um arroz tradicional, os associados da Orivárzea entram no mercado do século XXI com pergaminhos de antiguidade e visão de futuro, fazendo desta marca uma referência na produção de arroz de grande qualidade, não só em Portugal como em toda a Europa. A qualidade do Arroz Carolino produzido pela Orivárzea na Lezíria Ribatejana é de tal forma distintiva, que para além do mercado nacional o produto é hoje exportado para os mercados da Suíça, Polónia e Bélgica.

Além disso, empresas tão exigentes como a Danone/Milupa e BENEO-Remy, referências no mercado da alimentação infantil, confiam hoje na qualidade do arroz Orivárzea como matéria prima selecionada para a rigorosa preparação dos seus produtos.

É claro que, como quase todos os produtos excepcionais, o segredo da Orivárzea está no cuidado que uma quantidade limitada permite dedicar a todas as fases da produção. É que ao contrário da generalidade das marcas de arroz disponíveis no mercado, o arroz produzido pela Orivárzea é inteiramente cultivado pelos seus associados na Lezíria Ribatejana. Sendo a sua produção limitada, e uma vez que a Orivárzea nunca adquire arroz de outros produtores, a colheita de cada ano pode esgotar no fim do Verão. A nova Colheita chega ao mercado no Outono.




A marca Bom Sucesso já conquistou um lugar de distinção no mercado português. É das mais disponíveis no portfolio da Orivárzea, a de maior notoriedade, tanto no mercado doméstico como entre os Chefes de Cozinha mais proeminentes do nosso país. É também esta marca produzida pela Orivárzea exportada para vários países do mercado europeu.
Disponível nas variedades Carolina, Agulha, Integral e Aromático, o arroz Bom Sucesso, é resultado de um rigoroso controle em todas as fases do processo de produção, o qual termina na selecção grão a grão e no embalamento em atmosfera controlada. É sem dúvida um arroz premium e o carro-chefe das marcas Orivázea, distinguido pelo terceiro ano consecutivo com o prémio Sabor do Ano, e o único arroz produzido em toda a Europa certificado nos Sistemas de Gestão de Qualidade.

As Marcas...
A Orivárzea dispõe das marcas Bom Sucesso, Belmonte disponível em apenas alguns pontos do mercado português, arroz IGPIndicação Geográfica Protegida, que é uma qualificação europeia, usada para designar um produto que mantém uma relação com o meio geográfico onde é produzido. Ao adquirir um produto que beneficie da qualificação IGP, o consumidor tem a garantia de que o produto possui características de autenticidade, de sabor e de aroma inigualáveis e que foi sujeito a um rigoroso sistema de controlo independente, instituído ao longo de todo o processo produtivo, e o Baby Rice cuja consistência macia e sedosa e o seu sabor capaz de incorporar os mais delicados temperos, fazem dele o arroz mais indicado para fazer parte dos menus sólidos de um bébé a partir dos 6 meses e para acompanhar a sua alimentação até à adolescência.
Mas é na segurança e pureza da sua composição que o Baby Rice se destaca de todas as outras marcas de arroz disponíveis no mercado. O Baby Rice é o arroz genuíno, como a Natureza o criou.













Produtos gentilmente enviados pela Orivárzea.


O meu agradecimento.


Contactos:
Fábrica e Escritórios
Orivárzea
Orizicultores do Ribatejo, S.A.
Lagoa das Donzelas,
2120-901 Salvaterra de Magos
Morada Postal
Apartado 29
Salvaterra de Magos

Telefones
Tel. +351 263 500 390
Fax +351 263 500 399
Fax Online +351 213 516 121

Emails
Geral
geral@orivarzea.pt
Administrativo/Financeiro
financeiro@orivarzea.pt
Produção
producao@orivarzea.pt
Qualidade
qualidade@orivarzea.pt
Comercial
comercial@orivarzea.pt


Saiba mais através do facebook